A World Academy of Sciences (TWAS) – Academia Mundial de Ciências –  divulgou uma lista com os 36 novos membros da associação. Dentre as adições à equipe da academia de ciências, estão cinco brasileiros que são professores de instituições públicas.

Publicidade

Três dos professores brasileiros listados fazem parte do corpo docente da Universidade de São Paulo (USP): Célia Regina da Silva Garcia, Edson Antonio Ticianelli e Luisa Lina Villa. Os outros dois professores são: Márcia Cristina Bernardes Barbosa, da Universidade Federal do Rio Grande do Sul e Wilson Savino, da Fundação Oswaldo Cruz.

Célia faz parte do Departamento de Análises clínicas e Toxicológicas da Faculdade de Ciências Farmacêuticas (FCF) da USP desde 1995. A docente foi indicada para a academia por conta de suas contribuições para o controle do parasita da malária.

Publicidade

Edson Antonio Ticianelli é docente do Instituto de Química de São Carlos (IQSC). O professor já é membro da Academia de Ciências do Estado de São Paulo e da Academia Brasileira de Ciências. Sua indicação ocorreu por conta de suas pesquisas na área de eletroquímica, com processos que envolvem oxidação de hidrogênio, eletrizadores de água e redução de dióxido de carbono.

publicidade

Luiza Lina Villa é professora do Departamento de Radiologia e Oncologia da Faculdade de Medicina da USP (FMUSP) desde 2011. Sua indicação ocorreu por suas pesquisas sobre o HPV, que apontaram que a infecção é o fator principal da neoplasia cervical em mulheres.

Márcia Cristina Bernardes Barbosa é professora do Instituto de Física da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS). Sua nomeação se deve às contribuições para o campo da hidrodinâmica. Além disso, é autora do livro “Mulheres na Física: Casos Históricos, Panorama e Perspectivas”.

Publicidade

Wilson Savino é pesquisador do Instituto Oswaldo Cruz (Fiocruz) e coordenador de Estratégias de Integração Regional e Nacional da Fundação Oswaldo Cruz. Sua área de pesquisa é a imunologia, e suas contribuições fizeram com que fosse nomeado para a academia. Wilson também foi reconhecido com o título de doutor honoris pela Universidade Sorbonne, na França.

Via: UOL 

Publicidade