A Apple solicitou que o Apple Watch, iPhone e outros produtos ou peças importados da China sejam isentos das tarifas, em vigor desde o dia 1º de setembro, do presidente Donald Trump. Nesta quinta (31), a Apple apresentou uma lista de 11 produtos e peças das quais deseja liberar da tributação de 15%, de acordo com a Bloomberg.  

Publicidade

A tarifa é um tipo de imposto indireto anunciado pelo governo sobre mercadorias, bens e outros itens especiais importados ou exportados. Entre os outros produtos selecionados pela Apple para a isenção, estão o HomePod; o alto-falante sem fio Beats Pill Plus; os fones AirPods and Beats; a capa inteligente de bateria do iPhone; as estações de carregamento para AirPods e PowerBeats; componentes de armazenamento para o Mac Pro e as baterias para iPhone e MacBook.

Ainda em julho, a gigante de tecnologia tentou cancelar as tarifas para seu novo Mac Pro de US$ 6 mil, mas Trump negou o pedido e respondeu nas mídias sociais que a Apple deveria fabricar seus produtos nos Estados Unidos. Em setembro, a Maçã finalmente conseguiu obter a isenção tarifária ao mover a produção do laptop para o país natal.

Publicidade

O efeito das tarifas sobre os preços da Apple é motivo de discussão há meses. Em junho, a empresa reclamou que os impostos contra a China prejudicariam a sua competitividade econômica e reduziriam a contribuição da companhia para a economia dos EUA.