Em visita à China, o presidente Jair Bolsonaro, afirmou hoje (25) que o Brasil vai aguardar a melhor oferta no leilão da rede 5G e que não vai se posicionar sobre a disputa entre China e Estados Unidos.

O presidente contou que conversou reservadamente com Donald Trump sobre a gigante chinesa Huawei, principal detentora da tecnologia 5G. “Não podemos ficar atrás da tecnologia”, afirmou Bolsonaro, mas já acrescentou que “o Brasil sempre primou por buscar o comércio e não ferir suscetibilidades”.

Reprodução

Foto: Jason Lee/Reuters

publicidade

A batalha entre EUA e China já soma diversos capítulos. O governo de Trump tem feito campanha aberta contra a Huawei. O país impôs diversas sanções contra a empresa, alegando que a companhia representa um risco à segurança nacional.

A constante disputa entre EUA e China e as barreiras impostas à Huawei não foram assuntos tratados no encontro entre Bolsonaro e o presidente chinês Xi Jinping. Aparentemente, o tema se tornou um tabu em encontros políticos internacionais na China.

O diretor de América Latina do Ministério das Relações Exteriores da China, Zhao Bentang, afirmou que os dois presidentes manifestaram a vontade de reforçar a cooperação e o investimento, apesar de não mencionaram nenhuma empresa específica.

“Entendo que todas as empresas estão incluídas. Até porque vamos aprofundar a cooperação tecnológica e digital”, disse o diretor.

Na última terça-feira (22) o presidente Jair Bolsonaro, antes da viagem à Ásia, havia afirmado que a tecnologia 5G “não está em seu radar”.