O CEO da SpaceX, Elon Musk, e o administrador da Nasa, Jim Bridenstine, tranquilizaram jornalistas na tarde da última quinta-feira (10) sobre sua parceria para levar astronautas da Nasa para o espaço usando veículos da SpaceX. A declaração foi feira durante uma visita de Jim à empresa de Musk. Eles também disseram que isso pode ocorrer já no primeiro trimestre de 2020.

“Elon e eu concordamos firmemente nisso – que a única coisa que temos em desenvolvimento, e que é de alta prioridade, é lançar astronautas americanos em foguetes partindo de solo americano”, disse Bridenstine. “O voo espacial humano é a razão pela qual a SpaceX foi criada, e estamos incrivelmente honrados em fazer essa parceria com a Nasa. É realmente um sonho se tornando realidade”, disse Musk.

A justificativa veio após as alfinetadas da Nasa em relação ao atraso da SpaceX nos resultados para os voos tripulados prometidos pela empresa de Musk há alguns anos. 

A SpaceX é uma das empresas que desenvolveram maneiras de transportar astronautas da Nasa para a Estação Espacial Internacional (ISS em inglês), como parte do programa Commercial Crew da agência espacial.

publicidade

Desde o fim do programa de ônibus espaciais em 2011, a Nasa teve que confiar no foguete russo Soyuz para transportar membros da tribulação para a ISS – uma opção que custa US$ 85 milhões (aproximadamente R$ 350 milhões) por pessoa. Com o programa Commercial Crew, o objetivo é que a SpaceX transporte astronautas em cápsulas feitas nos Estados Unidos por custos mais baixos – cerca de US$ 50 milhões por assento (aproximadamente R$ 200 milhões), segundo estimativas da Nasa.

No entanto, o programa Commercial Crew tem sofrido com atrasos. A Nasa esperava que as primeiras tripulações fossem enviadas ao espaço em 2017, mas as datas foram sendo adiadas repetidamente.

Em março deste ano, a SpaceX lançou uma nova cápsula, a Crew Dragon, que atracou com sucesso à ISS e retornou à Terra; mas um mês depois, a mesma cápsula explodiu durante um teste de solo no Cabo Canaveral, na Flórida. Com isso, a missão foi atrasada e diversas perguntas sobre o futuro dos voos espaciais da SpaceX surgiram.

Agora, Bridenstine e Musk disseram que a SpaceX está quase pronta para voar, e que tudo vai depender de testes que serão realizados no fim do ano. “Quando se trata desses novos recursos de desenvolvimento, direi que estamos chegando muito perto”, disse Bridenstine. “E estamos muito confiantes de que, no começo do próximo ano, estaremos prontos para lançar astronautas em foguetes americanos”.

No entanto, Bridenstine observou que as datas podem mudar facilmente. “Se surgir algo que não sabíamos, pode demorar mais do que isso”, disse ele. “Independentemente de conseguirmos fazê-lo na primeira metade do próximo ano ou não, o que importa é fazê-lo em algum momento”.

Via: The Verge