A série Mate 30 é o primeiro lançamento da Huawei a ser afetado pela proibição emitida no início do ano pelo Departamento de Comércio dos EUA (que proíbe empresas americanas de venderem bens ou serviços à companhia). Como resultado, o Google não tem permissão para fornecer acesso ao Google Play Services aos novos smartphones da marca.

O Play Services não é apenas uma maneira de o Google pré-instalar seus aplicativos (como Gmail, Maps, Fotos e YouTube), é também o intermediário para notificações, mapas e segurança de muitos outros apps. Na China, a Huawei tem a Huawei App Gallery, com milhares de aplicativos disponíveis para download. Como substituto do Google Play Services — e para aprimorar serviços como localização, gerenciamento em nuvem, notificações e jogos —, utiliza o Huawei Mobile Services (HMS).

Para tentar contornar a proibição, a empresa quer incentivar desenvolvedores dos EUA a criarem apps para a plataforma. Richard Yu, CEO da companhia, diz que o Programa de Incentivo ao Ecossistema HMS, que terá investimento de US$ 1 bilhão, busca estimular desenvolvedores a criarem aplicativos e comercializá-los em telefones da Huawei fora da China. Esses profissionais terão participação de 85% na receita dos apps — enquanto o Google e a Apple oferecem 70%.

Segundo Yu, embora os serviços do Google não estejam disponíveis na Huawei App Gallery, é possível fazer o sideload nos celulares Huawei. Além disso, enquanto os desenvolvedores publicarem seus aplicativos na loja da companhia, a experiência do Android na EMUI 10 não será muito diferente do que ocorria nas versões anteriores.

publicidade

Em coletiva de imprensa do lançamento da série Mate 30, em Munique, na Alemanha, o CEO disse que lamenta a situação. “No passado nós nunca fizemos isso, mas agora precisamos fazer. O governo americano nos forçou a isso e não temos outra opção.”

Yu disse, ainda, que a Huawei já considera outras lojas de aplicativos — de empresas como Aptoide e F-Droid. A App Store da Amazon é provavelmente a mais familiar para os usuários do ocidente, mas é pouco provável que a companhia chinesa consiga um acordo com ela, já que é mais uma companhia dos EUA.

Fonte: Android Central