Aplicativos de relacionamento como o Tinder ganharam tanta força que ficou difícil conhecer pessoas de qualquer outra forma. Não são incomuns os casos de pessoas que se aproveitam desse cenário para criar perfis “fake” de pessoas famosas, normalmente como brincadeira. Isso cria um efeito colateral: e quando pessoas famosas realmente usam esses apps? A resposta foi descoberta pela atriz Sharon Stone da pior forma possível.

Publicidade

Aos 61 anos, ela decidiu recorrer ao Bumble, um app de relacionamentos que tem como diferencial o fato de que apenas a mulher pode iniciar a conversa após o “match”. No entanto, seu perfil foi rapidamente banido, pelo simples motivo de que os usuários desconfiavam de que o perfil era falso.

“Eu fui ao aplicativo de encontros Bumble e eles fecharam minha conta. Alguns usuários reportaram que não era possível que aquela seria eu. Ei, Bumble, ser eu é digno de exclusão? Não me expulsem da colmeia”, disse ela, fazendo uma referência à abelha, mascote do aplicativo.

Publicidade

publicidade
Publicidade

Não demorou muito para que a empresa se manifestasse para tentar corrigir a falha, afirmando que o perfil não seria bloqueado novamente. A empresa também aproveitou a oportunidade para recomendar que usuários verifiquem seus perfis para evitar o “catfishing”, que é a prática de se envolver com outras pessoas utilizando uma identidade falsa. O app conta com um sistema no qual a identidade do usuário é verificada por um funcionário.

Curiosamente, essa não foi a primeira vez que uma pessoa conhecida pelo público foi excluída de um aplicativo de relacionamento. Isso aconteceu com Orkut Büyükkökten, criador da rede social que carrega seu nome e que foi febre no Brasil antes do Facebook tomar conta do mercado. Ele foi banido do Tinder justamente por não acreditarem que seu perfil poderia ser real.

Publicidade