O primeiro-ministro britânico, Boris Johnson, foi flagrado tirando uma selfie com um telefone da Huawei nesta quinta-feira (5), apenas um dia depois de sugerir que o Reino Unido, seguindo a mesma a posição dos Estados Unidos, proibisse a tecnologia da Huawei no país. 

Publicidade

Johnson participou do programa matinal ITV This Morning para falar sobre o Brexit e as próximas eleições. Após o programa, as câmeras o capturaram posando para uma selfie com os apresentadores, postada no Instagram, usando um Huawei P20 Pro. O telefone foi identificado pela Press Association.

“Assim que saímos do ar, ele sacou o telefone e tirou uma selfie”, contou a apresentadora Holly Willoughby. Mais tarde, um representante do primeiro-ministro negou que o celular fosse dele. Um representante da Huawei se negou a comentar.

Publicidade
 
 
 
Ver essa foto no Instagram

Thank you to Phillip and Holly at ITV This Morning – a good opportunity to talk more about our exciting vision for the country 🇬🇧 #GetBrexitDone

Uma publicação compartilhada por Boris Johnson (@borisjohnsonuk) em5 de Dez, 2019 às 3:04 PST

publicidade
Publicidade

A inesperada publicidade para a marca chinesa ocorreu apenas um dia depois de Johnson sugerir, em uma cúpula da Otan, que o Reino Unido pudesse cumprir a posição dos EUA sobre a Huawei, proibindo a incorporação de sua tecnologia à infraestrutura de telecomunicações 5G. Isso aconteceu porque autoridades americanas pressionaram o Reino Unido e outros aliados a imitarem a atitude americana sobre a fabricante da China. Caso contrário, os norte-americanos irão reavaliar os acordos de compartilhamento de informações.

Nos últimos dois anos, os EUA adotaram uma postura cada vez mais agressiva sobre a Huawei, sob alegação de preocupações com a segurança nacional. O país proibiu a empresa de fornecer equipamentos de telecomunicação e vender seus aparelhos em solo americano, e até tenta extraditar o diretor financeiro da Huawei, que está em prisão domiciliar na China. Austrália e Nova Zelândia também seguiram a liderança dos EUA.

Entretanto, o Canadá e os países europeus vêm sendo mais cautelosos. Os celulares da Huawei ainda são vendidos em grande parte da Europa, inclusive no Reino Unido, que atrasou a decisão final sobre o assunto até depois das eleições gerais do país, no dia 12 de dezembro.

Publicidade

Os telefones chineses continuam a ser populares em toda a Europa, com o P30 Pro e o Mate 30 sendo uma alternativa sofisticada ao Samsung Galaxy S10 e Galaxy Note 10, além dos iPhones e iPads da Apple.

Via: CNET

Publicidade