O grupo ativista Anonymous realizou mais uma ação nesta sexta-feira, 26. Em um ataque isolado, a célula AnonOpsBrazil tirou o site pessoal do presidente Michel Temer do ar nesta tarde. Segundo o grupo, o ataque foi realizado em virtude dos escândalos envolvendo a participação do político em esquemas ligados com a empresa JBS.

Reprodução

Pelo Facebook, o grupo assumiu a autoria do ataque e declarou “guerra a qualquer autoridade, política ou não, que oprime a população”. Como de praxe, a célula também lembrou que não é um movimento partidário.

publicidade

Além dos escândalos desencadeados após a delação premiada de Joesley Batista envolvendo Temer, a AnonOpsBrazil também se posicionou contra as reformas propostas pelo governo para realizar mudanças nos setores trabalhista e previdenciário. “As reformas são uma afronta aos direitos humanos, aos direitos trabalhistas dos pobres e beneficiam somente o empregador, e não o empregado”.

Para piorar, o ataque acontece em uma semana de turbulência virtual para Michel Temer. Além do governo ter tido que notificar uma página de memes por usar fotos do presidente sem autorização, o chefe do Executivo ainda passou a utilizar um celular criptografado para garantir mais segurança em sua comunicação.

Vale lembrar ainda que essa não foi a primeira vez que o governo Temer teve problemas com o grupo de ativistas. O próprio site do presidente já havia sido invadido pelo grupo no início de janeiro. Mais tarde, em fevereiro, houve a divulgação de conversas privadas da primeira-dama, Marcela Temer