Muita gente pode até reclamar de 2016, mas não Mark Zuckerberg. Um dos homens mais poderosos do mundo, o empresário e criador do Facebook viu sua empresa alcançar bons resultados no ano e se firmar como a principal rede social da atualidade, mesmo enfrentando algumas polêmicas.

Com a propagação de propaganda intensa e denúncias de interferência nas eleições presidenciais dos Estados Unidos, a rede social passou a tomar medidas para combater as notícias falsas. Em comunicado, a empresa revelou que cortaria os anúncios vinculados a sites com conteúdo duvidoso e inverídico. A medida é semelhante à anunciada pelo Google diante da questão.

Problemas de lado, 2016 torna-se um marco para o Facebook, principalmente com o Messenger. O aplicativo já é usado por mais de 1 bilhão de usuários no mundo inteiro e agora incorpora a plataforma de jogos Instant Games. Ela permite que os internautas conversem entre si durante uma partida de algum jogo.

E se o número de usuários do Messenger impressiona, ele ainda está distante do número de usuários mensais na rede social: 1,79 bilhão. Para crescer ainda mais, a aposta da empresa está em recursos de realidade virtual e inteligência artificial. 

publicidade

Tais inovações marcaram presença durante o ano na rede social. Preocupado com a transparência de seus algoritmos, o Facebook chegou a elaborar um programa para explicar aos usuários como seu sistema funcionava. Usando a mesma tecnologia, a empresa criou ferramentas de acessibilidade, como a leitura de fotografias para usuários cegos.

Mas talvez umas tacadas mais certeiras de 2016 tenha sido mesmo a ideia de oferecer as transmissões ao vivo a todos os usuários. Qualquer um pode fazer o streaming ao vivo de qualquer situação que queira a partir da câmera do smartphone. 

Via Mashable