O robô Pepper, criado pela empresa Softbank, não está tendo dificuldade em arrumar emprego. Ele já trabalha como lojista, como enfermeiro e como garçom da Pizza Hut, por exemplo. Agora, no entanto, a empresa japonesa Nissei Eco quer dar a ele o trabalho de um monge budista para entoar cantos fúnebres em funerais. 

Segundo o jornal local Japan Times, a intenção da empresa é fornecer uma alternativa mais barata a monges budistas humanos. A Nissei Eco pretende cobrar 50 mil ienes (cerca de R$ 1.500) pelos serviços do robô, o que o jornal informa ser consideravelmente menos do que um monge budista cobraria. Para realizar seu trabalho, o Pepper será capaz de entoar sutras de quatro seitas budistas diferentes. 

publicidade

Embora seja uma utilização bastante incomum para um robô, a empresa vê isso como um esforço para trazer inovação a uma indústria que precisa se adaptar a mudanças da sociedade. Mudanças no estilo de vida dos japoneses e um aumento da idade média da população fizeram com que surgisse uma demanda por uma maneira mais barata de conduzir os rituais fúnebres das pessoas amadas.

Tecnologia mortuária

publicidade

Ao menos deve ser um investimento rentável. De acordo com o Digital Trends, é possível comprar um Pepper no Japão por 198 mil ienes (R$ 5.750), mais uma taxa mensal de 24,6 mil ienes (R$ 716). Cobrando 50 mil ienes por serviço fúnebre realizado pelo robô, o investimento começa a dar retorno em menos de um ano, supondo que ele faça apenas um trabalho por mês. 

Por enquanto, o Pepper ainda está em treinamento para ser monge budista. Sua primeira aparição nesse papel acontecerá na semana que vem em Tóquio durante a Life Ending Industry EXPO, uma feira internacional de tecnologia de funerais e cemitérios que acontece anualmente. Ainda de acordo com o Japan Times, a Nissei Eco acredita que o monge Pepper deverá roubar a cena. A feira também permite que os visitantes experimentem os caixões mais tecnológicos e votem no monge mais bonito.

publicidade