O DJ Gustavo Elias Santos, acusado de participar de um hackeio que invadiu os celulares das autoridades, teve o alvará expedido pela justiça. O suspeito assinou um acordo de colaboração premiada com o Ministério Público Federal e sua delação foi homologada pela 10ª Vara da Justiça Federal de Brasília.

Publicidade

O DJ foi preso na primeira etapa da operação Spoofing, que ocorreu em julho de 2019. Entre as autoridades afetadas, de acordo com a polícia, estão procuradores da Operação Lava Jato e o ministro da Justiça, Sério Moro.

Nesta quinta-feira (19), Gustavo e outros cinco suspeitos foram indiciados pela Polícia Federal por invasão de dispositivo, interceptação telefônica ilegal e organização criminosa.

Publicidade

De acordo com a defesa, Gustavo Santos será solto, mas negou envolvimento com a colaboração premiada.

publicidade

Luiz Henrique Molição, estudante de direito, também indiciado no caso, teve seu acordo, de delação premiada, homologado, e deixou a prisão no início de dezembro.

Publicidade