A Apple está processando um ex-funcionário que foi figura importante na criação dos chips para iPhone e iPad. Gerard Williams III deixou a empresa no início do ano para começar uma startup de chips, a Nuvia, que contratou pelo menos outros oito ex-funcionários da Apple. Natualmente, a gigante americana não ficou muito feliz com isso.

Publicidade

A Nuvia foi lançada oficialmente no mês passado. Na época, revelou que havia levantado US$ 53 milhões (cerca de R$ 212 milhões) em financiamento. A empresa fabrica processadores para data center.

Reprodução

Publicidade

Gerard Williams (centro) deixou a Apple para fundar outra empresa – Foto: Nuvia

publicidade

A Apple não se deu por satisfeita com a saída de Williams, e agora processa o ex-funcionário, alegando que seu trabalho para tirar a Nuvia do chão representou uma quebra de contrato e uma violação do dever de lealdade. Isso porque ele estava planejando a empresa e recrutando funcionários enquanto ainda estava na Apple. A empresa de Cupertino quer uma liminar e está procurando penalizações para Williams.

Williams trabalhou na Apple entre Fevereiro de 2010 e Fevereiro de 2019. 

Publicidade

Por outro lado, a Nuvia, protesta contra o processo. “A Apple, uma das primeiras beneficiárias das forças criativas que formaram e continuam a impulsionar o Vale do Silício, entrou com essa ação em um esforço desesperado para fechar o negócio legal de um ex-funcionário”, afirmou.

A Nuvia foi além, acusando a Apple de uma violação “impressionante e inquietante” da privacidade dos funcionários. “Para intimidar ainda mais qualquer funcionário da empresa que possa se atrever a deixar a Apple, a reclamação mostra que eles estão monitorando e examinando os registros telefônicos e mensagens de texto de seus funcionários”, afirmou a Nuvia.

 

Via: Cult of Mac

Publicidade