Geneticistas da Universidade de Harvard, nos Estados Unidos, estão desenvolvendo um aplicativo de namoro baseado no DNA. A ideia é garantir que pessoas com genes recessivos para algumas doenças não fiquem juntas para que seus filhos não venham ao mundo com alguma complicação.

Publicidade

Em um exemplo simplificado: o gene da cor dos olhos castanhos é dominante, enquanto o azul é recessivo; portanto, se uma pessoa de olhos castanhos e uma de olhos azuis tiver um filho, provavelmente a criança terá olhos castanhos. Ou seja, se um portador de um gene recessivo causador de uma doença acaba tendo um bebê com alguém que carrega o mesmo gene, seus filhos têm 25% de chance de sofrer da doença, e essa é uma situação que o aplicativo de namoro pretende evitar.

No entanto, ainda que a criação desse aplicativo possa parecer boa, para que a plataforma possa funcionar um dia, seria necessário que boa parte da população mundial tivesse o seu DNA sequenciado, e essa ainda e uma realidade distante de muitos países.

Publicidade