Uma dupla de cientistas divulgou uma nova teoria sobre o motivo que desencadeia a morte das estrelas anãs brancas, que posteriormente se transformam em supernovas. O gatilho, aparentemente, é um pequeno buraco negro feito de matéria escura que cresce dentro do núcleo da estrela. Em suma, a matéria escura – substância misteriosa e invisível que compõe a maior parte do universo – acumula-se no centro de uma anã branca até que ela se sobrecarregue e exploda. 

Publicidade

Os astrônomos observaram estrelas anãs brancas – ou pelo menos o cadáver de corpos celestes pequenos demais para serem supernovas – detonando, mas não conseguiram desenvolver modelos de explicação para o fenômeno. O estudo, publicado em agosto deste ano na revista Physical Review D, influencia novas teorias.

“O segredo das supernovas é que, nos modelos de computador, nunca conseguimos que elas façam a ignição final”, disse Ashley Pagnotta, astrofísica da Faculdade de Charleston, que não trabalhou no estudo. “Sempre tem que haver um gatilho injetado”.

Publicidade

Os pesquisadores não possuem bases concretas para sustentar a ideia, pois não descobriram como monitorar a matéria escura. Fazer isso durante a criação de uma supernova seria ainda mais difícil.

publicidade

“Seria algo como o tamanho de um próton, mas extremamente massivo”, disse o pesquisador da Queen’s University, Joseph Bramante.

Publicidade