Tendo em mente os muitos produtos usados hoje em dia que são “grudados” por adesivos, pesquisadores da Universidade de Victoria e da Universidade da Colúmbia Britânica desenvolveram uma “hiper cola”, para tornar tudo mais forte e resistente à corrosão. O estudo foi publicado na revista Science.

Publicidade

A equipe de pesquisadores descobriu um método de ligação de plásticos e fibras sintéticas no nível molecular, em um procedimento chamado de reticulação. Esse processo acontece quando o adesivo é exposto ao calor ou à luz UV de ondas longas, criando conexões fortes e resistentes. Mesmo com uma quantidade mínima de reticulação, os materiais são fortemente ligados.

De acordo com os cientistas, essas ligações reticuladas podem criar oportunidades para misturar e combinar materiais que as colas disponíveis comercialmente não conseguem. “O adesivo é particularmente eficaz em polietileno de alta densidade, que é um plástico importante usado em garrafas, tubulações e muitas outras aplicações”, comentou Abbas Milani, um dos pesquisadores envolvidos no projeto. “As colas disponíveis não funcionaram nesses materiais, tornando nossa descoberta uma base impressionante para uma ampla gama de usos importantes”.

Publicidade

Uma das aplicações mais promissoras imaginadas pelos cientistas para a “hiper cola” é como um agente de união de roupas. A equipe trabalha com pesquisadores de outras áreas em novas categorias de vestuário para socorristas, como roupas de mergulho e coletes à prova de balas de alto desempenho.

publicidade

Para a equipe, contudo, seu potencial pode se estender muito. Os pesquisadores imaginam que a cola possa ser usada para melhorar implantes médicos, instalações hidráulicas domésticas mais fortes, ou simplesmente como um aditivo para aumentar o desempenho de diversas categorias de produtos.

“Imagine tintas que nunca descascam ou revestimentos à prova d’água que nunca precisam ser selados novamente”, diz Milani. “Estamos começando a pensar em usá-lo como uma maneira de unir muitas categorias de plásticos, o que é um grande desafio na reciclagem do material e de seus compostos. Existe um potencial real de tornar alguns de nossos itens diários mais fortes e menos propensos as falhas”.

Publicidade

Via: New Atlas