Quanto mais rápido um carro se move, mais ele tem que lutar contra o arrasto – essencialmente a pressão do ar contra um objeto em movimento. Em geral, quanto menor o coeficiente de arrasto do veículo, mais fácil é “cortar” o ar e melhor será sua autonomia. Embora alguns temessem que o design angular do Cybertruck atrapalhasse sua aerodinâmica, cálculos iniciais sugerem que o veículo parece comparar-se favoravelmente às picapes existentes.

Publicidade

O canal do YouTube Boats and Engines testou a aerodinâmica do Cybertruck usando software de dinâmica de fluidos computacional para modelar o desempenho do veículo. Este software pode simular e calcular as forças agindo sobre um objeto em movimento, com mais praticidade e precisão que um túnel de vento.

Os resultados mostram que embora haja um pouco de atrito adicional no topo do veículo, o design é surpreendentemente eficiente, em geral. O canal reconhece que seu software e modelo não são precisos o suficiente para estimar o coeficiente de arrasto do veículo com total precisão, mas seus resultados sugerem que algumas preocupações com o design plano do Cybertruck são infundadas.

Publicidade

publicidade

Mais reveladora é uma comparação do Cybertruck com dois veículos existentes, o Ford F150 e o Dodge Ram 1500. A simulação do Boats and Engines mostra um coeficiente de arrasto de 0,39 a 100 km / h para o Cybertruck, comparado a 0,59 no F150 e 0,56 no Ram 1500. Ou seja, o veículo da Tesla é muito mais aerodinâmico, portanto mais eficiente.

Obviamente, estes são resultados preliminares, baseados nas poucas informações disponíveis sobre o Cybertruck. O veículo e suas especificações podem mudar até que ele chegue às mãos dos consumidores, em 2021, devido ao processo de fabricação ou exigências de segurança. Ao que parece, a equipe de Elon Musk fez o “dever de casa” direitinho.

Publicidade

Fonte: The Next Web