Ser líder de uma religião com 1,3 bilhão de seguidores em todo o mundo tem suas vantagens. Quando o Papa Francisco decidiu criar seu perfil no Instagram, quem fez o cadastro foi Kevin Systrom, co-fundador da rede social.

Publicidade

Systrom relembra o processo em uma entrevista ao site The Cut. “Fui à cidade do Vaticano duas vezes. A primeira vez foi para apresentar a ideia. Expliquei por que, não importa quem você é, se você tem algo a dizer, o Instagram é o lugar para fazê-lo. [O papa] disse: ‘Bem, minha equipe analisará isso e me dará sua decisão. Mas eles não estão no comando, porque todo mundo tem um chefe. Ele apontou para si mesmo. Então ele disse: ‘Até eu tenho um chefe’, e ele apontou para o céu. Achei isso muito engraçado “.

Depois que o Papa teve aprovação de sua equipe, e supostamente de seu chefe, Systrom recebeu um telefonema. “Eles me ligaram e disseram: ‘Você pode voltar para criar a conta?’”, relembra o executivo. “Eu disse, ‘Bem, basta preencher um formulário. É realmente fácil, é só clicar.’ Meu diretor de operações chegou, me deu uma cotovelada no ombro e disse: ‘Vá para Roma’. ”

Publicidade

“Foi um momento tão divertido para mim, sua humildade e simpatia durante todo o processo foi incrível”, disse Systrom. “Tínhamos um iPad e tudo estava configurado. O nome já estava preenchido. Literalmente, tudo o que ele precisava fazer era clicar em ‘Cadastre-se’”.

publicidade

Em três anos o perfil do Papa (verificado, claro) conseguiu reunir impressionantes 6,3 milhões de seguidores, quase 800 posts e foi destaque na rede duas vezes. Nada mal para quem relutou a entrar na rede.

Fonte: The Cut

Publicidade