Aproveitando a estreia de Ford vs Ferrari, que comentaremos em breve por aqui, escolhemos dez filmes em que carros são centrais na trama. Taxi Driver, de Martin Scorsese, e Caçador de Morte, de Walter Hill, centram-se muito mais em seus motoristas do que no veículo que eles dirigem.

Publicidade

Mas certamente esquecemos alguns títulos. Sempre acontece, em qualquer lista que envolve escolhas e não uma pesquisa de anos. Fiquem à vontade para nos lembrar.

O Carro, a Máquina do Diabo (Elliot Silverstein, 1977)

Publicidade

Silverstein realizou os superestimados Cat Ballou e Um Homem Chamado Cavalo. Mas seu melhor filme é este, e é de terror, sobre um carro do demônio.

publicidade

Se Meu Fusca Falasse (Robert Stevenson, 1968)

Da época em que os filmes para toda a família eram mais adultos. Hoje, claro, existem filmes assim. Mas tendem a ser exceções.

Publicidade

Carros (John Lasseter, Joe Ranft, 2006)

Esta é uma das exceções (como vários outros filmes da Pixar) mencionadas no texto anterior.

Christine (John Carpenter, 1983)

Publicidade

Mais uma vez este filme menor de Carpenter entra em uma lista. Como falamos da outra vez, um filme menor de Carpenter é melhor que a maioria dos filmes lançados ano a ano.

De Volta para o Futuro – A Trilogia (Robert Zemeckis, 1985-1989)

Resolvi agrupar os três filmes porque a) são todos bons; b) o carro é central na história, porque é a máquina do tempo; c) a cada revisão um deles se torna o meu preferido da trilogia. Na última foi o terceiro.

Publicidade

Thalassa, Thalassa (Bogdan Dumitrescu, 1994)

Delicioso filme romeno em que crianças encontram um carro abandonado e resolvem viajar até o mar com ele.

Encurralado (Steven Spielberg, 1971)

Publicidade

Telefilme que colocou o nome de Spielberg no mapa do cinema, e até hoje um de seus melhores filmes.

Corrida sem Fim (Monte Hellman, 1971)

Dois jovens desafiando a sociedade e apostando corridas pelos EUA num carro envenenado. O carro é a casa, o motivo de suas vidas, um lar e uma família. Um longa típico da contracultura, obra-prima de poesia e existencialismo.

Publicidade

Gran Torino (Clint Eastwood, 2008)

Talvez seja forçar a barra colocar este filme em que o carro, o Gran Torino fabricado pela Ford em 1972, é só um pretexto para a formação de uma nova família, movida por sentimentos, não pelo sangue. Como é uma obra-prima que precisa ser vista ou revista, creio que valha forçar.

Tucker – Um Homem e seu Sonho (Francis Ford Coppola, 1988)

Publicidade

Jeff Bridges está fantástico como o idealista que resolve fazer o melhor carro já construído. Muitos fizeram a comparação que por vezes soa até óbvia: Tucker é o próprio Coppola, por sua vez um cineasta visionário que tinha sonhos megalomaníacos. Belíssimo e inesquecível filme.