Em setembro deste ano, a Marinha dos EUA confirmou a autenticidade de três vídeos que mostram objetos voadores não identificados sendo perseguidos por caças do porta-aviões Nimitz. Na época, os militares informaram que os vídeos eram verdadeiros e representam “fenômenos aéreos não-explicados”. Ainda não há uma explicação para a origem e comportamento do objeto, mas isso não quer dizer que ele tenha uma origem alienígena.

Publicidade

Segundo uma reportagem da revista norte-americana Popular Mechanics, dedicada à ciência e tecnologia, cinco veteranos que serviram a bordo do porta-aviões e de navios de seu grupo de combate dão a entender que há muito mais informações que não foram divulgadas.

De acordo com Gary Voorhis, suboficial de 3ª classe a bordo do USS Princeton, que acompanhava o Nimitz, os vídeos capturados durante os incidentes eram muito mais longos e nítidos do que os divulgados. O suboficial revelou que pouco depois de gravar os incidentes, seus superiores ordenaram que ele entregasse todas as gravações. A Marinha dos Estados Unidos disse que não vai comentar o fato.

Publicidade