Quem nunca recebeu uma mensagem com notícia falsa acompanhada do aviso “Só compartilhando”? Ou do clássico “Não sei se é verdade”? A distribuição desse tipo de material pode ser muito nociva: quem não se lembra de casos de pessoas acusadas injustamente de crimes e perseguidas por isso?

Publicidade

Nas eleições, notícias falsas também podem ser prejudiciais. Para educar a população e ajudar a evitar ocorrências futuras, o Núcleo de Rádio e TV do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) criou o “Minuto da Checagem”. A ideia do programa é explicar a importância de verificar, antes de compartilhar, a veracidade de informações encontradas em redes sociais, aplicativos e sites.

O TSE quer combater a desinformação principalmente no âmbito do processo eleitoral brasileiro. Durante as Eleições Gerais de 2018, o Tribunal enfrentou muitas dificuldades, pois houve suspeitas em relação à segurança do processo eleitoral e da urna eletrônica. Por isso, o mote dos vídeos é: “Na dúvida, não compartilhe. Não faça parte da corrente da desinformação. Você é responsável pelo que compartilha”.

Publicidade

O primeiro vídeo disponível no canal explica que a desinformação pode vir até mesmo de familiares e amigos próximos. Então, é importante ficar atento e desconfiar dos materiais recebidos por esses meios. No segundo vídeo da série, os espectadores descobrem como os criadores de notícias falsas utilizam manchetes apelativas que chamam a atenção e, assim, levar os usuários a repassarem esses conteúdos sem verificar.

publicidade

Além do canal, o TSE mantém a página “Fato ou Boato?”, que reúne todos os conteúdos produzidos para o combate a informações falsas sobre a Justiça Eleitoral e as eleições. O órgão tem, ainda, o Programa de Enfrentamento à Desinformação com Foco nas Eleições 2020. A iniciativa já tem 40 instituições parceiras (como partidos políticos e entidades públicas e privadas, como Google, Facebook, Twitter e WhatsApp).

Publicidade