O australiano Craig Wright, que diz ser o inventor da Bitcoin, vai ter que dividir seus ganhos em criptomoedas e entregar o equivalente a cerca de US$ 5 bilhões. Segundo o jornal britânico The Guardian, Wright foi processado por um desenvolvedor que diz ter sido sócio dele na suposta criação da moeda virtual. 

O programador morreu em 2013, mas a família de David Kleiman seguiu com o processo contra o australiano dizendo que os dois trabalharam juntos na concepção da Bitcoin, entre 2009 e 2013. 

A família de Kleiman pede o direito a 50% do que foi minerado em criptomoedas pelo australiano.

Agora, uma decisão de uma corte na Flórida (EUA) diz que a família tem direito a metade da propriedade intelectual de Wright, que é estimada em US$ 7,4 bilhões.

publicidade

Mas o australiano se defende e diz que não tem acesso a esse valor. Segundo ele, todo o Bitcoin minerado em 2009 e 2010 está em um arquivo criptografado que só poderá ser aberto em 2020.

Craig Wright ainda afirma que ele próprio criou o pseudônimo Satoshi Nakamoto – popularmente conhecido como o verdadeiro criador da Bitcoin.

Fonte: UOL