A saga de Fedor, robô humanoide da Rússia, finalmente alcançou um dos seus objetivos – atracar à Estação Espacial Internacional (ISS). A primeira tentativa foi no último sábado (24), porém a sonda Soyuz enfrentou problemas com o software e teve que se afastar

No dia 25, três dos seis tripulantes da ISS carregaram em uma das duas naves espaciais da Soyuz, já ancoradas na estação espacial e a moveram para o porto de atracação. A tripulação se encaixou manualmente na porta muito bem, pois o componente com falha apenas impediu o encaixe automático. Isso liberou outra porta com um sistema de acoplamento automático totalmente funcional, permitindo que a Soyuz desaparafusada finalmente se reencontrasse com a estação espacial por conta própria. Agora, um total de três naves Soyuz estão ancoradas na ISS.

Um dos objetivos da Roscosmos, corporação de espaço estatal russa, era fazer a rara missão da Soyuz sem tripulação, pois a corporação está modificando o tipo de foguete que as futuras equipes montarão no espaço. Em breve, as equipes com destino à ISS montarão no novo foguete Soyuz-2.1a, não no foguete Soyuz-FG em que astronautas e cosmonautas estão montando desde 2002. 

Antes de qualquer pessoa voar no novo veículo, a Roscosmos decidiu enviar o foguete em um voo para testar algumas atualizações para a cápsula e ver se certos sistemas de software na espaçonave e no foguete interagiram bem.

publicidade

Agora, chamado tecnicamente de Skybot F850, o humanoide será descarregado na estação espacial. Ele é hábil como um humano e é até capaz de executar tarefas complexas como dirigir carros e disparar armas. Ele, no entanto, não fará nada disso na ISS, felizmente. Os astronautas a bordo da ISS só passarão duas semanas com o bot, realizando testes e avaliando sua capacidade de realizar certas tarefas no espaço. Ele será então carregado de volta para a cápsula da Soyuz e retornará à Terra no início de setembro. 

Via: The Verge