Você sabe o que, exatamente, é um quilograma? Se sua resposta for algo parecido com “mil gramas”, ela seria considerada vaga demais pela comunidade científica. Até agora, a definição exata do que é um quilograma estava guardada em um cofre na região de Paris, na França. Tratava- se de um cilindro de platina chamado “Le Grand K”, criado em 1889 para pesar exatamente 1 kg, mas finalmente essa definição mudou após mais de um século.

Publicidade

Na Conferência Geral de Pesos e Medidas que aconteceu em Versalhes nesta sexta-feira, 16, cientistas decidiram de uma vez por todas eliminar a definição do quilograma com base em um objeto físico. Outras unidades que também foram ajustadas na conferência foram o ampere, o kelvin e o mol.

publicidade

Com o fim da definição com base em um objeto físico, os cientistas agora esperam definir o quilograma a partir de “constantes fundamentais da natureza”, como explicou Estefanía de Mirandés, que faz parte do Escritório Internacional de Pesos e Medidas. A mudança já estava em estudo há vários anos.

Publicidade

Assim, a definição oficial do que é um quilograma passará a ser baseada na Constante de Planck, que está relacionada com a mecânica quântica. Com a redefinição, o quilograma passa a ser tal que a Constante de Planck seja exatamente 6,62607015×10−34 quando expressa em Joules-segundo. Pode ser um pouco abstrato, mas é uma métrica precisa e invariável.

O problema de ter um objeto como referência oficial para uma medida é justamente a instabilidade. Mesmo com o “Le Grand K” ultraprotegido sob três camadas de vidro, ele ainda é afetado pela atmosfera e pode acumular micropartículas de poeira. A limpeza também pode afetar sua massa. Isso tem alguns impactos interessantes: se o objeto que representa o quilograma passa a pesar mais ou menos do que um quilograma, tudo mais que se baseia nessa medida também passa a variar; átomos, por exemplo, passariam a ter mais ou menos massa, ao menos teoricamente. Não à toa, a medida oficial de metro há vários anos passou a ser a distância percorrida pela luz no vácuo em 1/299.792.458 de um segundo, tomando como referência a constante da velocidade da luz, e não uma referência de distância arbitrária.

A mudança no modo como definimos o quilograma passa a valer a partir de 20 de maio de 2019. Até lá, continuamos usando como referência o cilindro de platina.

Publicidade