Em 2015, uma atualização do iOS deixou diversos dispositivos bloqueados ao redor do mundo por conta do polêmico “Erro 53”. Três anos depois, a Apple acaba de ser multada por uma corte na Austrália em R$ 24,8 milhões pelo ocorrido, informou o Techcrunch.

O “erro 53” é uma falha que surgia quando um iPhone ou iPad tentava instalar o então recém-lançado iOS 9. O problema só ocorria em aparelhos que antes haviam passado por algum reparo em uma assistência técnica não-autorizada pela Apple.

Em 2016, a Apple admitiu a prática, dizendo que se tratava de uma “medida de segurança”. “Esta medida de segurança é necessária para proteger o seu dispositivo e impedir que um sensor de Touch ID fraudulento seja usado”, explicou a empresa.

O Erro 53 fazia o aparelho travar e não ligar mais. Clientes relataram, na época, que funcionários da Apple estavam se recusando a trocar os aparelhos afetados ou mesmo fornecer uma solução porque eles já haviam sido reparados em assistências técnicas não-autorizadas.

publicidade

Nesta semana, o Tribunal Federal da Austrália definiu a multa de 9 milhões de dólares australianos (equivalente a R$ 24,8 milhões) contra a Apple, acatando o processo movido pela Comissão Australiana de Concorrência e Consumo (ACCC, na sigla em inglês), órgão local de defesa do consumidor.

O processo movido pela ACCC citava ao menos 275 australianos que foram afetados pelo Erro 53 e não tiveram direito a receber o suporte técnico da Apple. O órgão diz que a empresa admitiu o erro e que entraria em contato com cerca de 5.000 consumidores afetados para restabelecer o suporte.

A Apple não quis comentar a condenação.