Um estudo feito pela empresa de pesquisa de mercado Zenith revelou que o dinheiro gasto em publicidade em vídeos para celular deve bater uma marca importante em 2018. No ano que vem, o mercado deve mover US$ 18 bilhões, ultrapassando o montante gasto com publicidade em vídeos para PCs e notebooks.

Propagandas como as que passam antes de vídeos do YouTube, por exemplo, devem receber cada vez mais investimento. Isso porque, segundo o levantamento, o tempo gasto pelos usuários vendo vídeos em celulares e tablets não para de crescer. Por outro lado, o tempo dedicado a essa atividade em notebooks e PCs segue caindo.

Os números

O estudo estima que os usuários passarão, em média, 47,4 minutos por dia assistindo a vídeos pela internet. Desse total, 28,8 minutos serão vistos em celulares ou tablets, e apenas 18,6 minutos em notebooks, PCs e TVs inteligentes. 28,8 minutos representam um crescimento de 35% no tempo dedicado a essa atividade em dispositivos móveis; 18,6 minutos, por sua vez, representam um crescimento de apenas 2%.

publicidade

Isso deixa claro que as pessoas já estão passando mais tempo vendo vídeos no celular ou tablet do que em aparelhos “fixos”. E o mercado de publicidade deve seguir essa tendência, investindo mais onde as pessoas assistem mais. A Zenith estima que, em 2017, serão gastos US$ 15,2 bilhões em publicidade em vídeos voltados para aparelhos fixos, contra apenas US$ 12 bilhões para aparelhos móveis.

Mas o jogo deve mudar em 2018, no entanto, quando a estimativa é que o investimento voltado para dispositivos móveis chegue a US$ 18 bilhões. Quanto à publicidade em vídeo para dispositivos “fixos”, espera-se que ela caia para US$ 15 bilhões. Isso significa que 2017 seria o ano com o maior investimento em publicidade para PCs, notebooks e TVs inteligentes – daqui para frente, o tempo que as pessoas passam assistindo a vídeos nessa categoria de aparelhos só deve cair – e os gastos com publicidade nelas também. O gráfico abaixo mostra essa situação:

Reprodução 

Tendências globais

Não é só que as pessoas estão assistindo mais a vídeos por seus celulares. O tempo total que elas passam vendo vídeos pela internet está aumentando em todas as frentes, mas esse aumento é proporcionalmente maior nos aparelhos móveis. Em 2018, o tempo médio que as pessoas passam vendo vídeos deve aumentar 25%, segundo o estudo. O gráfico abaixo mostra uma estimativa de como esse uso de tempo deve evoluir nos próximos anos:

Reprodução

Logicamente, a quantia investida em publicidade para essas plataformas deve seguir a mesma tendência. Essa quantidade, segundo o Zenith, deve aumentar 23% em 2017 (na comparação com o ano anterior), 21% em 2018 e 17% em 2019 – neste último ano, o mercado deve chegar a mover um total de US$ 38,7 bilhões.

Todos esses dados dizem respeito ao tempo dedicado a vídeo em todas as plataformas – desde serviços dedicados a streaming, como YouTube, Netflix e Amazon Prime Video, até redes sociais com vídeos, como Facebook e Twitter. As redes sociais, de acordo com a Zenith, vêm sendo o principal motor do crescimento do tempo gasto com vídeos no celular.