Bancos de dados são uma parte sensível de qualquer negócio. Com um volume cada vez maior de informações produzidas a ritmos cada vez mais acelerados, sem qualquer perspectiva de redução, torna-se importante ter uma infraestrutura adequada para que as informações possam ser acessadas com maior desempenho e agilidade.

É aí que entram as soluções de armazenamento em Flash, que contam com altíssima velocidade para leitura e gravação, e que podem reduzir muito os tempos de espera das tarefas decisivas para os seus negócios. A substituição dos HDs convencionais por drives Flash tem a capacidade de maximizar as transações com um maior número de operações de input e output por segundo.

A questão reside, no entanto, na seguinte decisão: se é mais interessante para a sua empresa adotar uma solução híbrida, que mistura armazenamento Flash dedicado aos arquivos mais frequentemente acessados e que dependem de agilidade máxima e discos rígidos convencionais para dados que podem ser relegados a um segundo plano, ou se vale mais a pena apostar em uma alternativa totalmente Flash. 

Para essa decisão, o mais importante é pensar em custo-benefício. O preço por gigabyte de soluções Flash sempre será maior do que uma alternativa que usa HDs mecânicos por se tratar de uma tecnologia mais avançada. No entanto, existe a contrapartida de desempenho máximo, que pode ser uma necessidade dependendo do tipo de informação com a qual sua empresa trabalha.

publicidade

Gerenciamento inteligente

No caso de uma solução híbrida, uma parte importante da implementação da infraestrutura é decidir como alocar os dados em quais camadas. Existem dois modos de fazer isso, e o mais simples é o manual, no qual você direciona quais grupos de dados precisam receber o desempenho máximo fornecido por armazenamento Flash. Esse modo de gerenciamento traz alguns problemas, forçando um volume a ficar alocado em apenas um HD ou Flash, causando até mesmo desperdício de espaço, já que aplicações de bancos de dados podem exigir armazenamento livre para operar corretamente.

A segunda opção aposta em automação, permitindo que um volume possa ser subdividido entre Flash e discos rígidos convencionais. O controlador define o que deve será guardado em cada espaço, e pode deixar o armazenamento livre necessário para aplicações de bancos de dados em HDs, aproveitando ao máximo a valiosa tecnologia Flash.

Desempenho máximo

Por outro lado, a opção “all-flash” está no mercado para atender às necessidades de quem precisa de máximo desempenho, com alta disponibilidade, que possibilita um tempo de resposta que chegam à casa dos milissegundos, dando acesso mais rápido possível aos seus dados para trazer suas tarefas ao nível máximo de velocidade.

A tecnologia é indicada para quem necessita de aplicações mais exigentes, permitindo acelerar insights que permitam uma melhor tomada de decisões que possam impactar nos negócios da empresa. A opção por um armazenamento puramente Flash também habilita uma empresa a avançar para a era da computação cognitiva com nível de disponibilidade que chega a 99,9999%.

Veja como a McCain melhorou a disponibilidade e o tempo da geração de relatórios: