Fica o aviso: não seja muito bom em Pokémon Go, ou você será banido temporariamente. Prova disso aconteceu quando o jogador Jimmy Derocher criou um plano brilhante para obter 1 milhão de pontos de XP em apenas algumas horas, e perdeu seu acesso ao game, mesmo sem obter métodos ilegais.

Ele decidiu correr atrás desta marca para provar que ela era possível sem trapaças. Para tal, ele foi a uma pista de caminhada de 300 metros com 10 pokéstops com lures. O jogador planejava ficar dando voltas nesta pista que foi casualmente apelidada de “Jimmy’s loop”. Ele também decidiu transmitir o feito ao vivo pelo Twitch e avisou o que faria por meio de um evento no Facebook.

Reprodução

A execução caminhava de acordo com o planejado. Ele estava acumulando quantidades absurdas de experiência com uma combinação de Lucky Eggs (que dobram a quantidade de XP), pokéstops, capturas de Pokémon e evolução tática de criaturas. Em 13 horas, ele havia acumulado 600.000 XP.

publicidade

Foi aí que as coisas começaram a mudar. A Niantic implementou sistemas que previnem que jogadores usem bots que joguem automaticamente o game no lugar do jogador. Estas ferramentas são ilegais de acordo com os termos do jogo, já que permitem acumular vastas quantidades de experiência em pouco tempo sem qualquer esforço, criando uma competição desleal com quem gasta a sola do tênis para jogar Pokémon Go.

Assim, Jimmy foi confundido com um bot, e recebeu um banimento temporário, conhecido como “soft-ban”. Na prática, o jogador ainda consegue acessar o jogo, mas várias ações ficam inviabilizadas, e a quantidade de XP acumulada com o game é radicalmente limitada.

Assim, não importava o que Jimmy fizesse, todos os Pokémons encontrados fugiam das pokébolas, não importa o tipo de bola usada. Mas isso não significa que ele desistiu. Pokéstops ainda dão experiência, e cada Pokémon que escapa dá 25 pontos de XP para o jogador. Assim, ele se manteve nesta rotina por mais 1 hora e meia acumulando 25.000 pontos.

Parte do objetivo da empreitada foi provar que o limite imposto pela Niantic não era justo com jogadores mais ávidos.

“Eu sou um jogador hardcore e jogo de forma bastante eficiente, mas o ponto é que eu não deveria receber banimento de 24 horas em apenas metade deste tempo. Os bots são muito mais eficientes do que os humanos, e eu acho que o soft ban foi colocado de forma desajeitada, prejudicando mais jogadores do que eles esperavam”, afirmou Derocher.

Outra parte interessante da brincadeira foi o fato de que ela gerou dinheiro real destinado a instituições de caridade. O jogador usou o aplicativo Charity Miles, que vai converter os 40 quilômetros que ele caminhou em dinheiro para entidades assistenciais. Além disso, espectadores no Twitch também apoiaram a transmissão com cerca de US$ 50, que também serão doados. “Mas eu percorreria uma distância 50% maior e conseguiria até 10 vezes mais doações em uma transmissão completa”, afirmou ele.

Via Kotaku